Definir o infinito?

Céticos e ateus,
não me peçam de Deus prova ou definição
porque definir é delimitar,
e um deus delimitado
jamais poderia ser Deus!
Ao definir Deus
não sobraria lugar para a fé
muito menos, para a razão
porque seria loucura!
A razão tem seu assento reservado
nas probabilidades do que a fé produz,
e desde quando se pode negar o que é provável?
(MF)

Anúncios
| Deixe um comentário

O SAGRADO E O PROFANO NA CULTURA EVANGÉLICA BRASILEIRA

A cultura em que vivemos exerce grande influência em nossos conceitos de sagrado e profano. Necessário é que observemos com clareza o que é pecado à luz das Escrituras Sagradas e não pela lente fosca da nossa cultura e moral. Vejamos: há décadas atrás a igreja evangélica institucional considerava profano jogar futebol, chegando a afirmar que a bola era “o ovo do diabo”. Hoje, há muitos jogadores evangélicos, inclusive na seleção brasileira.

Há quatro décadas atrás a igreja evangélica institucional considerava ir ao cinema algo profano. Hoje, há até atores evangélicos cumprindo o sagrado ofício de fazer cinema e frequentá-lo, tem sido um das coisas mais corriqueiras na vida de um evangélico.

Nesta mesma linha de tempo também, a igreja evangélica institucional achava que tocar ou curtir rock era algo profano. Hoje, nos sagrados momentos de culto o rock está presente nos louvores de forma natural. Quem nunca cantou  O nosso general é Cristo…?

Saindo da nossa, perceba também a cultura do apóstolo Paulo. Naquele tempo a mulher deveria ficar calada dentro da congregação. Hoje, ministras e pastoras exercem seu sagrado dever e chamado de pregar a Palavra, como cumprimento da profecia de Joel 2:28. E nos últimos dias derramarei do meu Espírito sobre toda a carne…vossos filhos e vossas filhas profetizarão. Muito embora tal profecia tivesse seu cumprimento embrionado em Atos do Apóstolos, fora resistida durante séculos pelas barreiras culturais.

Pelos exemplos acima, podemos perceber que a nossa cultura, bem como foi no tempo de Paulo, exerce influência no conceito de sagrado e profano. Tudo isto, em algum momento da história, causou grande choque e por conta disto, os que quebraram tais paradigmas sofreram alguma pressão da igreja. 

Diante desta realidade e à luz da Palavra de Deus, perceba que o conceito de sagrado e profano nestes contextos está intimamente ligado às motivações do coração: Portanto, quer comais quer bebais, ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus. (I Coríntios 10:31). 

De certo que existem coisas intrinsecamente sagradas, que independem da ação humana. Mas partindo do que tange ao coração do homem, jogar futebol, ir e fazer cinema, o papel feminino na igreja, cantar e tocar rock…são coisas que podem ser sagradas ou profanas, mas só vão depender de uma genuína relação com Deus e da postura intencional de cada um diante dos Seus olhos, extrapolando qualquer barreira cultural ou humanamente moral. Agostinho já dizia: Ame e faça o que quiseres.

Finalizando, se somos de fato honestos, devemos admitir que há muito de sagrado em lugares denominados profanos e há muito de profano em lugares que chamamos de sagrados. O cuidado com o próprio coração é o que pode determinar e definir melhor tais conceitos. Tudo é puro para os que são puros… (Tito 1:15).

 

 

 

 

 

| Deixe um comentário

A HONRA COMO MEIO E NÃO UM FIM EM SI MESMO

Não é este o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, José, Judas e Simão? Não estão aqui conosco as suas irmãs? ” E ficavam escandalizados por causa dele.
Jesus lhes disse: “Só em sua própria terra, entre seus parentes e em sua própria casa, é que um profeta não tem honra”.
E não pôde fazer ali nenhum milagre, exceto impor as mãos sobre alguns doentes e curá-los.

Marcos 6:3-5

Usa-se muito esta expressão de Jesus sobre a falta de honra do profeta e sua própria terra para se legislar em causa própria. Só que com Jesus foi diferente. Primeiro que Ele não precisava de honra humana, e segundo, não intentava defender a própria causa.

O lamento do Mestre se deu pela incredulidade do seu povo que não podia usufruir do privilégio de ver a glória do Pai através do que Ele almejava fazer ali. Jamais seria pela falta de honra em si.

Isto mostra quão difícil é para o profeta ser um canal de Deus em determinados lugares hoje também! Claro que isto não é uma regra. Mas naquele contexto e em muitos outras situações isto se faz real.

No entanto, o profeta nunca deve se vitimizar. O povo é quem perde a grande oportunidade de receber as pérolas de Deus! E quanto às honras, se o Mestre dos mestres não usufruiu delas em Sua terra, quem somos nós para reivindicá-las?

| Deixe um comentário

SE DEUS EXISTE, PORQUE PERMITE AS TRAGÉDIAS?

Minha filha, curiosa por também obter uma resposta, mostrou-me no Yahoo o seguinte questionamento: “Deus não evitou o Tufão e não evitou a morte de 30 milhões de crianças de fome este ano. Então o que Deus fez?”

Na minha limitada compreensão das coisas tentei responder:

Não é Deus quem causa tufões e fome no mundo. Mas as injustiças sociais provocadas pelos homens e os maus tratos à natureza vêm causando danos à humanidade. Se Deus interferisse nessa situação estaria evitando os efeitos da irresponsabilidade humana, o que contrariaria seu caráter, pois se Deus corrigisse as consequências de nossos erros não estaria sendo nada didático. O homem com isto nunca aprenderia com seus próprios erros e com isto, a vida seria muito pior.

Quanto à fome, há comprovações de que no mundo é possível que toda a raça humana seja bem alimentada. O problema reside na má distribuição de rendas, na corrupção e nas injustiças sociais de um modo geral. Culpar Deus por essas coisas seria o mesmo que incendiar a floresta e reclamar porque Deus não apaga o fogo. Deus não exime o homem das consequências de seus atos. (Diga-se de passagem, incendiar florestas também desequilibra a natureza e causa tragédias).

Fora isto, Jesus já havia dito que no fim essas coisas se sucederiam como sinal de Sua volta. “Levantar-se-á nação contra nação, reino contra reino, e haverá fome, peste e grandes desgraças em diversos lugares. Tudo isto será apenas o início das dores”. (Mateus 24:7-8)

| Deixe um comentário

Nossa vulnerabilidade exposta nos preserva do pior

Conta-se que o colonizador inglês James Cook aportou do seu navio em uma aldeia, no Havaí e os nativos tratavam aquele homem como sendo um deus, elegendo-o mesmo como uma divindade.


O colonizador, entusiasmado com a cultura psico-antropofágica daqueles nativos, não se esforçou para desmitificar a imagem que cultivavam dele, aceitando o endeusamento de bom grado.


Certo dia, quando partiu, foi em direção ao mar, onde encontrou uma grande tempestade que o obrigou a retornar à ilha. Os nativos viram que ele havia voltado por causa da tempestade e sentiram-se traídos. Imaginavam que nenhum deus fugiria de uma tempestade.


Sem piedade, os habitantes daquela aldeia iniciaram um ataque àquele navio de forma brutal até conseguirem matar o capitão. Morreu por não ter revelado a verdade àquele povo. Morreu por causa de sua máscara de falso deus.


Mostrar nossa vulnerabilidade sempre há de nos preservar do pior!

Publicado em Para Pensar | 4 Comentários

Legenda do Ano Zero (Vídeo)

http://youtu.be/EMHp-NFrPIk

Publicado em Vídeo | 1 Comentário

O Tempo Pode Rejuvenescer a Alma

Falar do tempo que passou e da idade não parecem ser os assuntos prediletos dos que estão vendo os cabelos perderem a cor.

Pessoalmente tenho uma boa relação com o tempo e talvez, por assim ser, para mim também seja natural falar dele, muito embora saiba que possa trazer desconforto para alguns.

Mas acho que é sempre bom olharmos o lado positivo do tempo. Olhar para trás e ver que o hoje é melhor que o ontem, a despeito da nossa estética facial e física de um modo geral.

Num momento em que todos lutam contra o tempo e muitos gostariam de voltar atrás, particularmente vejo aspectos muito positivos no hoje e saudades à parte, não gostaria de voltar atrás. Mas é uma questão de idiossincrasia pessoal, embora creia eu que outros venham a se identificar comigo.

Veja só: as experiências adquiridas no decorrer dos anos, as conquistas, o amadurecimento, mesmo que limitados, a obra graciosa e maravilhosa que o Senhor vem aperfeiçoando em nós não se comparam com uma juventude de emoções e alma envelhecidas.

Há pouco mais de 20 anos eu e muita gente boa éramos mais ou menos aquilo que o compositor Silvio Cesar fez para Roberto Carlos cantar na década de 70: “Um moço velho”.

Bem, poderíamos listar muitas coisas que tornam a alma envelhecida: a baixa alto-estima, o mau humor, o pensamento negativo, mágoa, falta de perdão, complexo de inferioridade, insegurança, arrogância…

Sem generalizar, fico olhando certas atitudes de uma rapaziada nova que acha que sabe tudo e que os de idade mais avançada são ultrapassados e reflito: que pena que eles pensam que sabem tudo! Ainda não viram nada!

Sinceramente, seguindo o conselho de Salomão, tenho boas relações com o tempo, porque o hoje para mim é melhor que o ontem.

É melhor ver o tempo passar mas perceber que a alma e as emoções se rejuvenesceram e descobrir na frase do poeta mineiro, “os sonhos não envelhecem”, que tudo faz sentido no agora, sem, evidentemente, desprezar o ontem.

Enfim, coisas que sonhamos há 20 anos atrás podem estar se realizando hoje, ou Deus dizendo para cada um de nós: “Filho, estes sonhos não servem para você, pois são pequenos demais. Tenho outros melhores que quero realizar na sua vida: os sonhos meus! E ao realizá-los, vou te usar para abençoar os outros!.”

Quer melhor que isto para ver a alma rejuvenescida?

“O caminho de Deus é perfeito!”

Carpe Diem!

Publicado em Crônica | 4 Comentários